"Tomamos uma medida pensada, mas arriscada", diz Fábio Vilas-Boas sobre retorno da economia

    Arquivo/ BNews
    Com uma taxa média de crescimento do novo coronavírus de 2% por dia, algumas regiões da Bahia preocupam pelo avanço da doença e o descumprimento de protocolos de segurança que evitam a disseminação do vírus.
    Segundo o secretário de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), Fábio Vilas-Boas, na Região Metropolitana de Salvador (RMS) o que tem chamado atenção são cenas de aglomerações. A região Oeste também está com o sinal amarelo ligado para o avanço da doença. Nas últimas 24 horas, o órgão registrou 1.550 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,9%) e 2.125 curados (+1,4%). 
    "Luís Eduardo Magalhães e Barreiras, hoje, apresentam taxa de crescimento acima da média estadual, 4%, mas isso não refletiu negativamente na taxa de ocupação de leitos de UTI porque aumentamos a quantidade [de leitos], temos 65% de ocupação.Outras regiões nos preocupam, como a Região Metropolitana de Salvador (RMS), principalmente pelo o que nós vimos neste final de semana, como festas na Praia do Forte, restaurantes começando a abrir e muita gente circulando", comentou.
    Ainda segundo o secretário, o retorno das atividades econômicas foi uma medida pensada, mas "de risco", já que novos casos da doença podem surgir. Países que flexibilizaram medidas de segurança sofrerem com uma 'segunda onda' da doença. Salvador entrou na fase 1 de retomada na semana passada. 
    "Nós abrimos e tomamos a decisão muito bem pensada e arriscada de abrir em um momento em que ainda estamos num processo de crescimento da pandemia em todo o estado. Estamos apostando na colaboração da população e empresários. Eu recebi imagens de festas em boates em São Paulo, se isso acontecer aqui vai ser um desastre, vamos ter que interromper o processo de flexibilização", completou Vilas-Boas. 
    A taxa de ocupação dos leitos de UTI na capital baiana está em 75%, na semana passada, essa taxa tinha caído para 71%. O secretário Municipal de Saúde de Salvador (SMS), Leo Prates, já havia alertado para a demanda de pacientes vindos da RMS. 
    "Alguns prefeitos da RMS liberaram praias e bares, quando vão entender que a vida está acima da eleição? As UPAs de Salvador amanheceram com uns pacientes a regular. Advinha de onde vem o paciente?", escreveu Prates no Twitter neste domingo (2). A publicação foi apagada logo em seguida. (Nilson Marinho)
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment