Vitória pode receber até R$ 46 milhões por Diego Rosa após venda do jogador ao Grupo City; entenda


    Envolvido na negociação entre Vitória e Grêmio, em 2017, o meia-atacante Diego Rosa tinha apenas 14 anos quando deixou o Leão e acertou com o clube gaúcho. Três anos se passaram e nesta segunda-feira (24), o garoto assinou um pré-contrato com o Grupo City, acionista do Manchester City, até o mês de julho de 2025. Diego só viaja para a Europa em janeiro do ano que vem, pois ainda tem 17 anos.
    De acordo com o site GloboEsporte.com, o jogador foi negociado por um valor total de 23,5 milhões de euros (R$ 153,66 milhões atualmente), caso todas as metas sejam batidas. Como o Vitória tem 30% dos direitos econômicos, receberá a quantia que lhe é de direito e isso ajudará o clube que passa por um momento financeiro muito complicado, com atrasos de salários e compromissos financeiros.
    Inicialmente o Grupo City vai pagar 3 milhões de euros, no ato da assinatura do contrato, 2 milhões de euros em janeiro de 2021 e mais 1 milhão de euros em janeiro de 2022. Para chegar ao valor total, as metas a serem alcançadas são: - Diego Rosa ser inscrito na Premier League (4 milhões de euros); - A cada 10 jogos no seu primeiro clube, serão pagos 4,5 milhões de euros, podendo aumentar a cada 10 partidas em que ele participar na temporada do primeiro time.
    Atualmente com 17 anos, Diego Rosa já era tido como uma grande joia da base do Leão desde que chegou ao clube. Quando o diretor de futebol ainda era Dejan Petkovic, o Vitória contratou o zagueiro Wallace Reis por empréstimo junto ao Grêmio e cedeu o atleta para o clube gaúcho, ficando com 50% dos direitos econômicos, mas com uma cláusula no contrato que se o Grêmio quisesse adquirir mais 20%, pagaria R$ 500 mil.
    A equipe efetuou o pagamento citado semanas antes da negociação ser "vazada" na imprensa e ainda fez uma proposta de 2 milhões de reais pelos 30% restantes, que foi negada pelo atual presidente do Vitória, Paulo Carneiro.
    Com informações do site GloboEsporte.com
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment