Bellintani justifica demissão de Roger e volta a defender o Bahia de críticas



    A pós a demissão de Roger Machado, Guilherme Bellintani se pronunciou por meio da assessoria de imprensa do Bahia. O presidente do clube agradeceu ao treinador e justificou a sua saída do cargo.
    "Conversamos com o Roger e decidimos pelo desligamento. Ele veio, desde abril do ano passado, desenvolvendo um trabalho muito importante para o clube. Um treinador que escolheu o Bahia e foi tido por muitos, na época que veio, que tinha dado um passo atrás na carreira. Ouvimos muito isso da imprensa nacional. Quando ele chegou aqui, viu que tinha feito uma boa escolha. Um clube que vem se organizando, se modernizando, um clube que investiu no novo CT enquanto ele estava aqui. Um clube que vem mostrando que o Nordeste pode, sim, disputar competições em patamar de igualdade com vários clube do Sul e Sudeste. O Roger, quando fez a escolha, em abril de 2019, acreditou n projeto desse clube. Somos muito gratos a ele. Ele fez o clube se engrandecer  também engrandeceu como treinador. Infelizmente, a gente entende que chegou a hora da mudança, de fechar um ciclo. Essas escolhas, muitas vezes, são difíceis, mas a gente entende que, neste momento, o desligamento de Roger Machado é a melhor decisão para o futuro do Bahia", disse.
    Sobre possíveis reforços, o dirigente deixou a cargo do novo técnico, mas se mostrou favorável a encontrar soluções dentro do próprio elenco. "Está claro que temos algumas necessidades. Isso será avaliado pelo novo treinador. O time tem apresentado algumas lacunas, mas, às vezes, as soluções estão dentro do próprio elenco. Se o novo treinador entender que não encontra, dentro do próprio elenco, as soluções, a gente pode pensar, sim, a partir do provável desligamento do Fernandão, ocupar esse espaço com alguma outra contratação. Mas, uma contratação apenas para dar uma resposta nesse momento, não é nosso perfil. Eu acredito, é minha crença, que dentro do próprio elenco temos como buscar soluções. Se não for possível, a gente pode analisar o mercado. Jamais com ideia de contratar para apagar incêndio".
    O mandatário ainda se dirigiu, mais uma vez, aos críticos ao desempenho do departamento de futebol do Tricolor na sua gestão. Bellintani afirmou que as críticas são exageradas e enumerou as conquistas do clube durante seu mandato.
    "A gente tem, também, como falar as coisas boas do Bahia. A gente tem se acostumado a falar qual o problema do Bahia. Vi tweets dizendo que o Bahia é trágico no futebol, não evolui no futebol. A gente precisa ter uma reflexão. A gente perdeu um jogo em casa, por 5 a 3, cm um jogo muito ruim que fizemos, mas nunca tinha visto uma crise desse tamanho com o Bahia sendo o oitavo colocado no Campeonato Brasileiro. A gente veio de uma série de resultados, nos últimos três anos, mas as pessoas insistem em levantar problemas e lacunas. Nós jogamos cinco competições no cenário nacional e internacional. Somos tricampeões baianos, anos de 2018, 19 e 20, coisa que a gente não era há 32 anos. Fomos, em 2018, a melhor colocação da história do clube em uma competição internacional, na Copa Sul-americana. Fomos, em 2019, a melhor colocação da história do clube na Copa do Brasil, fomos quinto colocados. Somos, em 2018 e 2019, as duas melhores colocações da história do clube no Campeonato Brasileiro de pontos corridos. Apesar de termos ido a duas finais em três anos na Copa do Nordeste, não ganhamos nenhuma das duas. Aí, parece que a grande decepção está concentrada em uma competição. Entendo que é uma decepção, mas não é possível, na minha crença, de que a gente tendo, em cinco competições, marcas históricas em quatro delas, e o que figura é que o Bahia é um problema no futebol. Não consigo concordar com isso. É claro que a gente pode e precisa ir além disso. A gente está construindo o clube para isso. Mas, vi vários clubes, quatro anos atrás, dando passos maiores que a perna, tendo a sensação de que era o todo poderoso, tinha obrigação de vencer determinadas coisas e hoje estão destruídos. Não concordo e, enquanto eu for presidente, e enfrentarei a ideia de que o Bahia é uma piscina, um mar de problemas, pois não é. Também enfrentarei duramente a ideia de que o Bahia não tem evoluído no futebol. Não é verdade", completou.  / Por: Redação BNews
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment