Eleição da AL-BA: “Cada problema de sua vez”, afirma Rui Costa



     Da mesma forma como a coluna Na Sombra do Poder chegou a veiculada semanas atrás, o governador Rui Costa (PT) respondeu, na mesma linha, indagações feitas sobre as tratavas da eleição da presidência da Assembleia Legislativa da Bahia. O petista não quer nem ouvir falar do assunto no atual momento, pois seu foco, do ponto de vista estratégico, está nas eleições municipais. 

    A queda de braço do presidente atual, Nelson Leal (PP), que não desistiu das articulações de apresentar um Proposta de Emenda Constituição (PEC) para reativar a reeleição na Casa e assim bater de frente com o nome do PSD para concorrer ao pleito, deputado Adolfo Menezes, tem gerado uma dor de cabeça palaciana nos bastidores. 

    “A eleição da AL-BA é fevereiro. Cada problema da sua vez. Vamos buscar serenar os ânimos e encontra solução que seja boa para todo mundo”, disse nesta quinta-feira (24) pela manhã durante vistoria de obras no centro de Salvador.  

    O senador Jaques Wagner (PT), em entrevista ao BNews na semana passada, também comentou o assunto e afirmou ser uma situação deliciada vivenciada pela articulação política do governo do Estado. 

    Leal, apesar de ter participado de um acordo que selou sua primeira eleição em 2019, desacredita no pacto feito na governadoria com o PT, PSB e PSD. Rui foi o fiador do “casamento”, como ele mesmo sentencia. A vez, em tese, agora, seria da indicação do PSD que tem na sua bancada a unanimidade da indicação de Adolfo. 

    Caos não consiga emplacar a PEC, cujo voto seria a aberto e quanto exporia aliados do governador a um constrangimento perante ao chefe do Executivo, Leal e o PP do vice-governador João Leão trabalham com nomes paralelos, mas não devem dar sossego a uma eventual eleição do PSD para comandar, mais uma vez, a cadeira maior do legislativo baiano. /Por: Arquivo / Manu Dias / Gov

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment