Hospitais de Salvador devem ser desmobilizados após queda expressiva na taxa de ocupação por covid-19


    Ao menos 50 leitos de UTI instalados nós hospitais Ernesto Simões, Municipal e do Subúrbio destinados a pacientes covid-19 devem ser desmobilizados para atender a pacientes com outras doenças. A medida está em análise pelas secretarias estadual e municipal de Saúde, que discutirão nesta quinta-feira (3) como o procedimento será realizado.
    Em entrevista a José Eduardo, na Rádio Metrópole, o secretário de Saúde da capital baiana, Léo Prates, disse que a desmobilização deve ocorrer por causa da queda da taxa de ocupação dos leitos de UTI e por causa da demanda de pacientes com outras doenças. "A nossa pressão está maior por outras doenças do que por covid, a exemplo de coronariana, AVC, obesidade mórbida e cirurgias de joelho. Temos uma folga limitada e vamos definir com a Sesab como este redesenho será feito", disse. Nesta quarta-feira, 33 pacientes com outras doenças aguardam internamento em UTI no Hospital Municipal.
    A taxa de ocupação de leitos de UTI covid-19 fechou em 48% nesta terça-feira (1). Prates comentou ainda a queda do número de mortes por coronavírus em Salvador. "Houve uma queda expressiva e a média hoje é de sete óbitos por dia. Ainda é um volume grande, mas já chegamos a 30 mortes por covid-19 diariamente". Apesar dos números, o secretário ressaltou que ainda é momento de cautela. "Não podemos dizer que o coronavírus foi embora da nossa cidade. Isso só acontecerá quando tivermos uma vacina ou imunidade de rebanho. A Fiocruz fará um inquérito epidemiológico para verificar a situação da doença em nossa cidade e, inclusive, identificar possíveis casos de reinfecção", detalhou.   / Por: Redação BNews  /
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment