Mais quatro escritórios de advogacia propõem ação coletiva contra a Braskem nos EUA


    Outros quatro escritórios de advocacia se juntaram à ação coletiva nos EUA contra a Braskem motivados pelo afundamento do solo em quatro bairros de Maceió (AL), de responsablidade da empresa durante o processo de exploração do sal-gema na região. Um desses escritórios, o Pomerantz, firmou um acordo judicial de US$ 2,95 bilhões com a Petrobras na esteira da Operação Lava-Jato.
    Entre os escritórios que aderiram às queixas aparecem o Bernstein Liebhard LLP, o Bragar Eagel & Squire P.C., o Bronstein, Gewirtz & Grossman LLC e The Schall Law Firm. Todos alegaram que a companhia fez declarações falsas ao mercado e omitiu os riscos associados à mineração.
    Braskem passa por um processo de alienação privada iniciada pela Odebrecht, que coloca a totalidade de sua participação na empresa "A Braskem S.A. ... vem comunicar aos seus acionistas e ao mercado em geral que recebeu, nesta data, correspondência enviada por sua acionista controladora, Odebrecht S.A (“ODB”), informando que, em cumprimento a compromissos assumidos com credores concursais e extraconcursais, a ODB deu início aos atos preparatórios para estruturar um processo de alienação privada de até a totalidade da participação de sua titularidade na Companhia", disse a Braskem em comunicad, disse, em nota, a Braskem.  /Por: Divulgação  Por: Redação Bnews 
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment