Médicos fazem uma denúncia por hora ao CRM por falta de recursos durante a pandemia


    Entre os meses de abril e julho, o Conselho Federal de Medicina registrou a média de uma denúncia a cada hora feita por médicos em razão de falhas na infraestrutura de saúde durante a pandemia. No período, foram mais de 2,5 mil denúncias, com quase 21 mil relatos de falta de recursos e equipamentos.
    De acordo com os profissionais, os problemas, que vão de escassez de insumos básicos à ausência de pessoal, atingem não apenas hospitais, mas também outras frentes de assistência à saúde, como prontos-socorros e unidades básicas de saúde.
    Os dados foram divulgados pela agência Fiquem Sabendo a partir de informações obtidas por meio da Lei de Acesso à Informação. Segundo os registros, o número de problemas relatados é maior do que o de denúncias, uma vez que uma mesma denúncia pode incluir vários relatos diferentes.
    As principais reclamações aconteceram por falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), com 7.728 queixas prestadas no período. O item que mais falta é justamente um dos principais equipamentos de proteção contra o coronavírus: a máscara N95, com 1.805 relatos, além de outras 1.187 notificações ao CFM sobre falta de máscaras cirúrgicas em geral.
    Ainda conforme os dados obtidos, também foram relatadas falhas no fornecimento de kits de exame para Covid-19, com 1.088 queixas feitas ao CRM. Materiais de higiene, como álcool em gel, alvo de 769 reclamações e álcool a 70%, também estão em falta, o que motivou outros 574 relatos.
    Déficit
    Além da precariedade de equipamentos, os médicos relataram escassez de pessoal para atendimento em meio à pandemia. Foram mais de 2,7 mil reclamações relacionadas a recursos humanos.

    Entre os registros, a insuficiência de equipe médica lidera, com 704 queixas, seguida de relatos de falta de técnicos de enfermagem e de enfermeiros. Foram comunicados ainda episódios envolvendo dificuldade de acesso a leitos, sendo 1.131 relatos, sendo que quase metade (48%) se refere a leitos de UTI. / Por: Agência Brasil 
      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment