Braskem é alvo de passivo ambiental por contaminação do solo em Salvador



     A Braskem é questionada na Justiça por danos ambientais diretos ou indiretos não apenas em Alagoas. A petroquímica, que estima gastar ao menos R$ 8,3 bilhões para solucionar o problema relacionado à exploração de sal-gema em Maceió (AL), é alvo de ação civil pública também na Bahia, ajuizada em 2014 pelo Ministério Público Federal (MPF) por causa da contaminação do solo por mercúrio na península de Itapagipe, em Salvador.

    Reportagem do Valor mostra que em Madre de Deus, região metropolitana, a empresa tem colaborado com estudos e ações para a descontaminação do solo, o que a fez elevar recentemente a R$ 110 milhões o total em recursos provisionados para essa questão. A Braskem informou, no entanto, que um vazamento ocorrido hamsi de 30 anos em um tanque da empresa Tecnor provocou a contaminação. A petroquímica colabora de forma técnica desde 2003, mas ressalta que nunca teve operação na cidade.   / Por: Redação BNews 

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment