DPU entra com ação contra Magazine Luiza após processo seletivo para negros


     A Defensoria Pública da União (DPU) entrou com uma Ação Civil Pública na Justiça do Trabalho contra a abertura de um programa de trainee exclusivo para candidatos negros da Magazine Luíza.

    Para o autor da petição, o defensor Jovino Bento Júnior, embora a inclusão social de negros e qualquer outro grupo seja desejável, o programa em questão "não é medida necessária - pois existem outras e estão disponíveis para se atingir o mesmo objetivo -, e nem possui proporcionalidade estrita - já que haveria imensa desproporção entre o bônus esperado e o ônus da medida, a ser arcado por milhões de trabalhadores".

    Ainda segundo ele, o "formato do programa se revela ilegal, sendo a presente, pois, para buscar a sua conformação com a legislação, compatibilizando-o com os direitos dos trabalhadores de acesso ao mercado de trabalho e de não serem discriminados [...] isso não pode ocorrer às custas do atropelo dos direitos sociais dos demais trabalhadores, que também dependem da venda de sua força de trabalho para manter a si mesmos e às respectivas famílias".

    Outras denúncias
    O Ministério Público do Trabalho em São Paulo já indeferiu uma série de denúncias recebidas contra a empresa Magazine Luiza por causa do programa de trainee. Para o MPT, não houve violação trabalhista, mas sim uma "ação afirmativa de reparação histórica".

    Foram 11 denúncias em que a varejista foi acusada de promover "prática de racismo", uma vez que, nas palavras de um dos denunciantes, "impede que pessoas que não tenham o tom de pele desejado pela empresa" participem do processo seletivo.  / Por: Divulgação  Por: Redação BNews

    Veja:

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment