Conselho Superior da PGR analisa proposta que reduz poder de Aras sobre continuidade da Lava-Jato


     O Conselho Superior do Ministério Público Federal (MPF), órgão máximo na Procuradoria-Geral da República, vai analisar uma proposta que visa reduzir os poderes de Augusto Aras sobre a continuidade da operação Lava-Jato.

    A proposta descentraliza a responsabilidade sobre as forças-tarefas, que deixaria de ser apenas da equipe de Aras, mas passaria a ser submetida à análise do Conselho Superior.

    Nos últimos tempos, Aras manteve uma relação conflituosa com a tarefa, e também perdeu maioria no conselho, o que indica que a proposta tende a ser aprovada, caso entre em pauta. Segundo informações do O Globo, o projeto foi sugerido por um opositor de Aras, o conselheiro José Elaeres Marques Teixeira, e tem o apoio de outros membros do órgão.

    A decisão de pautar o tema, no entanto, é do próprio Aras, que pode dificultar a votação. Recentemente, a equipe do procurador-geral sinalizou a criação de tarefa modelo Gaecos (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) nas unidades estaduais do MPF, para substituir as forças da Lava-Jato.

    A versão do anteprojeto determina que os pedidos de criação e prorrogação de forças-tarefas deverão passar pelo Conselho Superior, que deverá pedir aos diversos órgãos da PGR um relatório sobre o assunto, incluindo se há a real necessidade para tal e se dispõem de estrutura para o trabalho.  /Por: Agência Brasil 

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment