Couto Maia tem aumento de casos de coronavírus entre funcionários; "Não vamos aguentar outra onda", alerta diretoria


     Após o aumento expressivo do número de casos de coronavírus entre funcionários do Hospital Couto Maia, no Monte Serrat, Cidade Baixa de Salvador, a diretora da unidade, Ceuci Nunes, fez alerta aos colaboradores e ressaltou que a unidade hospitalar não tem como "aguentar outra onda" de contaminação. O hospital é referência no combate a doenças infectocontagiosas.

    Em vídeo divulgado à equipe, Ceuci disse que, em um único dia, 15 casos foram confirmados entre os funcionários - 400% a mais em relação à média, antes fixada em duas ou três pessoas. Diariamente são feitos 30 testes. No vídeo, ela recomenda o uso constante de EPIs. "Quero mais uma vez me dirigir a todos os profissionais do Couto Maia. Tivemos essa semana um recorde de exames positivos de saúde e administrativo num único dia. Foram 15 exames", diz ela, em vídeo gravado na quinta-feira (19).

    Segundo a diretora, o descuido costuma acontecer em momentos de relaxamento. "Isso quer dizer que nós não estamos fazendo adequadamente a prevenção. Precisamos usar os EPIs, temos EPIs de sobra na casa", alerta ela. "Quando formos tirar a máscara para comer, beber, tomar um cafézinho, a gente precisa esta reservados, não conversar". Ela recomendou também que os funcionários devem evitar circular desnecessariamente pelo hospital.

    Ceuci pediu, ainda, que os funcionários lembrem aos familiares sobre a manutenção das precauções necessárias, como uso de máscara e distanciamento social. "O covid está aí, circulando fortemente, e nós estamos à beira da exaustão. Não vamos aguentar uma outra onda como aquela que tivemos no início da pandemia, com aquele número imenso de pacientes gravissimos que tivemos no hospital".

    A diretora ressalta que os profissionais de saúde estão à beira de exaustão. "Na Bahia a gente sabe que a positividade do nossos exames está acima de 20%, isso significa a circulação do vírus. Então se a gente não se protege, a gente vai adoecer. É um problema individual e um problema coletivo porque aumentar de novo o número de leitos de pacientes graves é um desgaste imenso para os profissionais de saúde. Então vamos pensar em todo mundo, gente, nas pessoas da nossa família, nos profissionais de saúde", diz.

    A Sesab informou que continua com os treinamentos e capacitações para os profissionais nas unidades de saúde, além da testagem regular.  /Por: Redação BNews

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment