Eleições municipais na Bahia têm queda de 23% em candidaturas cassadas pela Justiça Eleitoral


     Se comparado ao número de candidaturas cassadas nas eleições municipais de 2016, na Bahia, este ano teve queda de 23%, com 1.324 indeferimentos da Justiça Eleitoral, a maioria deles por ‘ausência de requisito de registro’, com 78% das ocorrências no estado.

    No pleito anterior, foram 1.721 homologações de cassação das candidaturas, também com maior número em ‘ausência de requisito de registro’, que representou 78,7% do total. Apesar da queda registrada na Bahia, o cenário nacional teve alta de 0,9% dos indeferimentos neste ano.

    Com o resultado de 2020, a Bahia ficou em quarta colocação no ranking nacional entre os estados que mais tiveram candidaturas cassadas até 14 de novembro, sendo que outras três, com prefeitos mais votados, estão sob júdice: Brejolândia, Santa Cruz Cabrália e Uruçuca. Ficaram à frente apenas São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Já em 2016, a Bahia ficou com a terceira colocação, atrás também de São Paulo e Minas.

    Na capital baiana, em 2016, foram 107 registros cassados até a véspera do pleito, contra 92 neste ano, o que representa uma queda de 14%. Neste ano, no Brasil, foram 19.327 políticos com os registros cassados até a véspera do primeiro turno eleitoral, que aconteceu neste domingo (15).

    Todos os dados analisados pelo BNews foram retirados do Repositório de Dados Eleitorais do Tribunal Superior Eleitoral e divulgados, nesta segunda-feira (16), pelo projeto Fiquem Sabendo. /Por: Reprodução/Internet  Por: Yasmin Garrido

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment