Ex-piloto Piquet insinua que Senna era gay e que mantinha relação com amigo


     O ex-piloto Nelson Piquet, afirmou, mais uma vez, que Ayrton Senna, morto em 1994, aos 34 anos, após um acidente durante uma corrida, na Itália, era gay e que escondia a sexualidade da família e da mídia assumindo relacionamentos com mulheres. A declaração, que chegou a ser rebatida pela ex-mulher de Senna, foi dada durante uma entrevista concedida ao canal do Youtube do Junior Coimbra.

    “O Senna passou quase três anos na Fórmula 1 e ele não tinha nenhuma namorada. Tinha um cara chamado Junior que vivia do lado dele e aí, o pessoal contou a história toda", disse Piquet. 

    Após a insinuação do ex-piloto, a ex-esposa de Senna, Lilian Silva, participou do Balanço Geral, da TV Record, nesta quinta-feira (26), para rebater as declarações que um dos motivos do término do matrimônio dos dois seria a vida dupla de Senna. 

    "Não teve anulação. Apenas nos separamos. Foi isso. Tenho todos os documentos, não devo nada para ninguém. Ele era meu. (...) Morei dois anos com o Ayrton em Norwich, condado de Londres, uma casa muito boa. Foi uma coisa muito bacana, aproveitamos muito. Eu lavava, passava, costurava, fazia de tudo (...) Engravidei dele. Depois de três ou quatro semanas sentindo enjoo, algumas coisas assim, fui ao médico e ele me disse que eu estava grávida. Eu perdi o bebê espontaneamente", disse.  /Por: Redação Bnews


      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment