Maior falta de matéria-prima em 19 anos leva indústria a reduzir produção


     A escassez de matéria-prima em vários segmentos e a alta de preços são atualmente os principais fatores que limitam a expansão da produção industrial no País. Pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) indica que no último mês de outubro, a falta de insumos atingiu os maiores níveis desde 2001 em 14 dos 19 segmentos da indústria.

    De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, o levantamento aponta que o setor de vestuário é o que mais sente os efeitos da falta de insumos e componentes, sendo reportada por 74,7% das empresas da categoria..

    Contudo, a falta também é apontada por fabricantes de produtos de plástico (52,8%); limpeza e perfumaria (39,1%); farmacêutica (34,2%); informática e eletrônicos (33,1%); produtos de metal (31%); couro e calçados (31,1%); e químico (27,9%).

    De acordo com a publicação, as empresas já reduziram o ritmo de atividade por esse motivo, e quem consegue produzir não pode distribuir o produto por falta de embalagens de papelão, plástico e vidros. A alta dos preços também é resultado do câmbio desvalorizado.

    A interrupção da produção no pico da pandemia de coronavírus e a volta ao consumo mais forte do que o esperado pegou as empresas com baixos estoques e demanda crescente, em parte por causa do auxílio emergencial pago pelo governo.

    Existe também o temor de que falte produto no mercado em momentos de alta demanda, com a Black Friday e o Natal. /Por: Reprodução/Arquivo/Agência Brasil 

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment