PF prende autor de suposto atentado no Ministério da Justiça


     A Polícia Federal identificou e prendeu na manhã desta segunda-feira (16) o autor do suposto atentado contra o Ministério da Justiça. O homem se chama Luiz Antônio Iurkiewiecz, tem 58 anos e é do Paraná.

    Segundo informações da Polícia Federal, ele seria o responsável por ter atirado um carro no espelho d'água do edifício, que fica na Esplanada dos Ministérios, a poucos metros do Congresso e do Palácio do Planalto, na região central de Brasília.

    A reportagem conversou com policiais militares que chegaram ao local para fazer a ocorrência.

    Segundo esses relatos, o veículo branco foi encontrado sobre a água por volta de meia-noite de domingo (15) para segunda (16). Parte da via ficou por algumas horas isolada.

    Ainda de acordo com os PMs, foi achado dentro do carro um objeto de madeira amarrado ao acelerador para manter o carro em movimento mesmo sem motorista.

    Uma panela de pressão também estava dentro do automóvel, que estava com o porta malas entreaberto. O esquadrão antibomba do Bope (Batalhão de Operações Especiais) da PM do DF foi acionado, mas como a área é de jurisdição federal, a PF foi chamada. Após o trabalho de averiguação, os agentes federais não encontraram nada potencialmente explosivo.

    Durante boa parte da madrugada, parte da pista em frente ao ministério foi isolada pelos policiais. Os carros só podiam passar por uma faixa. Pedestres também foram impedidos de se aproximar do local, devido à suspeita de risco de explosão.

    O homem foi identificado e detido ainda na manhã desta segunda-feira. Os investigadores agora tentam descobrir se ele agiu sozinho ou a mando de alguém. Eles querem saber também qual foi a motivação do suposto atentado.
    Iurkiewiecz foi candidato a deputado federal pelo PDT nas eleições de 2006 com o nome Luiz Iurki, mas não foi eleito.

    Na época ele declarou patrimônio de R$ 1,2 milhão, o que incluía duas empresas no ramo de energia e representações comerciais.

    O site "mudabrasil.com.br" conta com um manifesto assinado por ele, datado de 2008.

    Na publicação, o suspeito declara guerra "aos mercenários do parlamento" e diz que lutará até a morte "para erradicar essa vergonha do seio da pátria."

    O texto também diz que ele organizará movimento para convocar uma Assembleia Nacional Constituinte e que deseja as Forças Armadas "soberanas e bem equipadas".

    O carro foi tirado de dentro do espelho d'água na manhã desta segunda.

    Até o momento, a investigação não encontrou ligações políticas no ato de Iurkiewiecz. Ele ficará preso até deliberação da Justiça. A lavratura do auto de prisão em flagrante se deu com base no artigo 20 da Lei de Segurança Nacional. O artigo estabelece prisão de 3 a 10 anos para o ato de "devastar, saquear, extorquir, roubar, sequestrar, manter em cárcere privado, incendiar, depredar, provocar explosão, praticar atentado pessoal ou atos de terrorismo, por inconformismo político ou para obtenção de fundos destinados à manutenção de organizações políticas clandestinas ou subversivas".

    Imagens das câmeras de segurança do ministério foram acessadas pelas autoridades.

    O caso está sendo apurado pelo setor de inteligência da Polícia Federal.

    Por meio de nota, o órgão informou que, "no início da tarde de hoje (16), prendeu o homem responsável por lançar um automóvel no espelho d'água do Ministério da Justiça, na noite de ontem. As diligências policiais foram iniciadas, ainda durante a madrugada, logo após o ocorrido. As investigações continuam para que sejam apuradas todas as circunstâncias do fato". 
    /Por: Geraldo Magela/Agência Senado 

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment