‘Nenhuma sentença é justa se gera desigualdade, diz Papa Francisco para juízes



     O Papa Francisco mandou um recado para juízes africanos e americanos, durante o 1º Encontro Virtual dos Comitês para os Direitos Sociais da África e da América. Para o representante da Igreja Católica, a principal missão dos magistrados é promover a igualdade e que, sem isso, a Justiça perde a sua razão de existir.

    “É importante fazer uma pausa em seu trabalho do dia a dia para pensar e pensar em si mesmo. Estou certo de que essa prática lhes ajudará a adquirir uma dimensão mais completa de sua missão e responsabilidade social”, disse o papa. “Quando a Justiça é verdadeiramente justa, aquela Justiça torna os países felizes e seus povos dignos. Nenhuma sentença pode ser justa, nenhuma lei é legítima se o que gera é mais desigualdade, se o que gera é mais perda de direitos, indignidade ou violência”, disse o Papa Francisco.

    Ele comparou o trabalho dos juízes aos poetas. “O poeta precisa contemplar, pensar, compreender a música da realidade e moldá-la com palavras. Vocês, juízes, em cada decisão, em cada sentença, estão diante da feliz oportunidade de fazer poesia: uma poesia que cura as feridas dos pobres, que integra o planeta, que protege a Mãe Terra e todos os seus descendentes. Uma poesia que repara, redime e nutre”, afirmou Francisco.

    “Façam de sua poesia uma prática e, assim, vocês serão melhores poetas e melhores juízes. E jamais esqueçam que uma poesia que não transforma é apenas um punhado de palavras mortas”, disse ele. “Não renunciem a essa oportunidade. Assumam a graça a que têm direito, com determinação e coragem. Estejam cientes de que tudo o que contribuírem com sua retidão e compromisso é muito importante.”

    *BN

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment