Bruno Reis defende volta às aulas em março e demonstra preocupação com fechamento de escolas privadas


     O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), defendeu na manhã desta segunda-feira (8) o retorno às aulas presenciais na rede pública e privada da cidade em março deste ano. A grande preocupação do gestor é que o município não consiga concluir o calendário escolar deste ano, o que pode, consequentemente, atrasar os anos subsequentes. As escolas municipais ainda precisam cumprir com o calendário de 2020 que está comprometido desde março deste ano quando as atividades foram suspensas por decreto. 

    “Os primeiros meses deste ano nós vamos ter que cumprir o ano letivo de 2020 para depois iniciar o ano letivo de 2021, e se a gente não voltar até meados de março, fatalmente, nós vamos ter que entrar no ano letivo de 2022, aí você começa a ter interferência em três anos. Então, se a gente quer zerar 2020 fazendo um calendário sincronizado e unificado com o governo do estado é importante a retomada da educação”, disse Bruno durante coletiva de imprensa.

    Outra preocupação é uma possível alta pela procura de vagas na rede pública de ensino, já que, segundo ele, os impactos econômicos sofridos pelas escolas de pequeno e médio porte os levaram à falência, acabando com oferta de matrículas na cidade. 

    “Até dezembro, nas escolas, assim como outros segmentos, a jornada de trabalho tem sido compensada e paga parte pelo governo federal, então, muitos empresários conseguiram manter suas atividades mesmo fechados, a partir de dezembro, não, eles não conseguem arcar com salários de professores. Muitas [escolas] estão fechando e quebrando, e eu preciso dizer que, com toda franqueza,  muitas escolas da nossa cidade quebraram, mas e na hora que os pais forem matricular seus filhos e não encontrarem vagas? Vão todos para a rede pública estadual e municipal, mas e se a gente não tiver vagas?”, alertou.   /Por: Redação Bnews

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment