CNJ arquiva processo contra ex-presidente do TJ-BA por "alegações genéricas"


     A ministra Maria Thereza de Assis Moura, corregedora Nacional de Justiça, arquivou processo contra o ex-presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) Gesivaldo Britto por "alegações vagas e genéricas" contra ele.

    A petição, formulada por Reynaldo Costa Neto, afirma que o ex-presidente do TJ-BA teria relação com um imóvel em que pede reintegração e manutenção de posse, e como pano de fundo estaria a Operação Faroeste, onde Gesivaldo foi implicado.

    "Da análise dos autos, constata-se que as narrativas do requerente estão lastreadas em alegações vagas e genéricas, não sendo possível identificar de que forma os magistrados e o Delegatário citado teriam supostamente praticado alguma irregularidade, nem quais seriam os atos irregulares", diz trecho da decisão.

    O ex-presidente do TJ-BA foi afastado do cargo e se tornou réu na Operação que investiga venda de sentenças na Bahia.  /Por: Divulgação 

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment