Coordenador da APLB diz ser contra retorno das aulas presenciais antes da vacinação: "vamos pagar pra ver?"


     O coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), Rui Oliveira, defendeu que o retorno das aulas presenciais nas escolas só ocorra após a vacinação dos professores. Em entrevista ao apresentador José Eduardo, na rádio Metrópole, na manhã desta terça-feira (2), Rui alegou que instituições de ensino localizadas em outros estados e países que retornaram com as atividades tiveram que fechar as portas novamente após o surgimento de casos de coronavírus.

    "Nós queremos voltar com segurança. Em Campinas, as aulas voltaram e já tem 25 professores contaminados e a escola teve que fechar de novo. Na Europa estão fechando escolas novamente. A gente vai pagar pra ver? Acho que não é correto isso. Queremos construir um protocolo de retorno com segurança. Nós queremos fazer com que os alunos das redes públicas estadual e municipal tenham acesso a internet. A APLB está fazendo uma campanha para quando voltarem as aulas garantir que tenhamos os estudantes das escolas públicas acesso a aparelho eletroeletrônico", disse.

    Questionado pelo apresentador sobre a solicitação para incluir os trabalhadores da educação na lista de prioridade da imunização, Rui afirmou que a APLB fez um apelo ao prefeito Bruno Reis para que atendesse o pleito.

    "Nós lançamos um manifesto de prioridade da vacinação para os profissionais da educação. Não queremos passar na frente de ninguém. Apenas queremos prioridade. Na semana retrasada fizemos lives com diversos deputados onde foi feito um lançamento nacional pedindo que os profissionais da educação sejam prioridade na vacinação. Temos todo o interesse em que as aulas voltem, mas se esperamos até agora o que é que custa fazermos uma pressão para que o governo federal libere vacinas", afirma.  / Por: Redação BNews

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment