Eleição Câmara: Maia fala em aceitar impeachment de Bolsonaro após debandada do DEM


     A reunião da executiva nacional do DEM para tentar chegar a um acordo sobre a disputa pela presidência da Câmara dos Deputados, que acontece na segunda-feira (1), foi tensa. Segundo o G1, líderes e presidentes de partidos reagiram à informação de que o DEM abandonaria Baleia Rossi (MDB) para apoiar Arthur Lira. O partido resolveu ficar isento no pleito.  O presidente  nacional do partido,  ACM Neto informou a Maia e aos demais que 16 deputados do partido haviam decidido votar em Arthur Lira, candidato do presidente Bolsonaro à presidência da Câmara. Baleia ficaria com apenas 15 deputados.  Após a decisão, a reação do atual presidente da Casa, Rodrigo Maia foi imediata.

    Segundo as colunistas Natuza Nery e Andréia Sadi, “Maia disse que, com esse golpe provocado pelo grupo de Bolsonaro, não teria outra alternativa a não ser aceitar um dos pedidos de impeachment contra o presidente da República, Jair Bolsonaro. 

    Políticos que estiveram na reunião aconselham Maia a autorizar não só um, mas todos os pedidos de impeachment que hoje estão na gaveta contra Bolsonaro. Mas há outro grupo de Maia defendendo que ele não aceite, que seria “casuísmo” fazer isso no apagar das luzes de sua gestão, já que ele deixa o comando da Câmara nesta segunda (1). 

    Notícias Relacionadas: 
    Em meio à troca de farpas, executiva nacional do DEM se reúne para tentar definir candidato à Câmara

    Maia e MDB criticam ACM Neto após bancada baiana do DEM apoiar Arthur Lira: "Partido da boquinha"

    DEM libera voto da bancada na eleição para presidente da Câmara


     Por: Redação BNews

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment