Especialistas alertam para colapso no sistema de saúde da Bahia e Ceará


     Com alta nos casos de Covid-19, os especialistas afirmam que a situação é de alerta, e há uma preocupação com a possibilidade de um colapso no sistema de saúde dos estados da Bahia e Ceará, como ocorreu em Manaus (AM), caso não sejam adotadas medidas de controle.

    “Na Bahia, a situação é preocupante tanto pelo aumento de casos, quanto pela identificação de novas cepas do coronavírus. Segundo o boletim do dia 17, o número de casos estava próximo aos níveis de julho. Nós estamos atentos e apreensivos com essa situação, incluindo a questão da vacinação, que foi parada por falta de insumos aqui”, afirmou Miralba Freire, presidente da Sociedade Baiana de Infectologia, ao jornal O Globo.  

    A Vigilância Epidemiológica do Estado da Bahia confirmou na quarta-feira (17) a transmissão comunitária no estado da variante B.1.1.7 do coronavírus, originalmente detectada no Reino Unido. Além disso, já foram identificados 11 casos da variante de Manaus, a P1, considerada mais infecciosa, todos com origem na região Amazônica. 

    Para Freire, o aumento nos casos pode ter influência das novas variantes, mas ainda são necessários mais dados para identificar se há relação:  “Para ter certeza disso, é necessário fazer uma análise genômica, que quem está fazendo aqui é o Lacen [Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia]. Há uma possibilidade, porque a nova cepa de Manaus, por exemplo, é mais contagiosa. Se os números sobem, e ela está presente, há uma inferência. Não há como afirmar nesse momento, mas é uma situação de alerta”, pontuou a infectologista.

    A partir desta sexta-feira, a circulação de pessoas nas ruas e o funcionamento de serviços não essenciais ficarão restritos das 22h às 5h em grande parte da Bahia, exceto nas regiões que apresentam os menores índices de ocupação de leitos de UTI para Covid-19.  — É uma forma de conter o avanço desse número alarmante [mais de 15 mil casos ativos] que, se continuar crescendo, irá levar ao total colapso do sistema de saúde”, afirmou o governador Rui Costa.

    As aulas presenciais também estão suspensas no estado. Miguel Nicolelis, que coordena o Comitê Científico do Consórcio Nordeste para a Covid-19, disse que a curva de casos na Bahia é a mais preocupante e apresentou uma subida abrupta no final de janeiro.  “Não é igual a Manaus ou Amazonas, mas é bem assustadora, uma velocidade bem alta, comparada com o que ocorreu na primeira onda. E os dados mostram que a Bahia se equiparou a Pernambuco e Ceará no número de óbitos, os três estão próximos de 11 mil”, afirmou. 

    “Isso provavelmente se dá pelas aglomerações e aberturas, e em nenhum lugar do mundo isso conseguiu ser revertido com toque de recolher. O cenário está ruim por falta de medidas que eram necessárias para prevenir, independente de qual variante está dominando o perfil epidemiológico. Isso é válido, provavelmente, para todo o país”, completou.


     Por: Paula Fróes/ GOVBA 

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment