Ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha e a esposa são alvos de ação do MPDFT que investiga propina da GOL e TAM


     O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (MDB), e sua esposa, Cláudia Cruz, são dois dos principais alvos de uma operação do Ministério Público do Distrito Federal na manhã desta quarta-feira, (1), segundo apurou a coluna do Guilherme Amado. Também são alvos Tadeu Filippelli, ex-vice-governador do DF, e Célia Filippelli, e mais dois alvos, identificados como Afrânio Filho e Afrânio Neto.

    O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPDFT cumpre 20 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal e em mais 4 Estados (SP, RJ, ES, GO), que foram deferidos pela Justiça de Brasília.

    A investigação teve como origem a colaboração premiada celebrada entre o Ministério Público Federal e Lucio Funaro, homologada em 2018 e apura propina paga entre 2012 e 2014 A Filippelli, então vice-governador do Distrito Federal, e a Cunha para a alteração legislativa distrital para redução de alíquota de ICMS para querosene de avião.

    "Após a tramitação legislativa do projeto de lei de iniciativa do Poder Executivo, ele foi convertido na Lei Distrital nº 5.095, de 8 de abril de 2013, que alterou a Lei nº 1.254/96 para, na prática, reduzir a alíquota do ICMS do querosene de aviação civil de 25% para 12%", explicou o MPDFT.

    Segundo os investigadores, até o momento, há indícios de pagamento de propina por parte das companhias aéreas GOL e TAM.

    Cunha teria recebido sua parcela de propina por meio da empresa C3 ATIVIDADES DE INTERNET LTDA, administrada por Cláudia Cruz, ou a partir de valores transferidos a empresas ligadas ao seu operador Funaro    /Por: Laycer Tomaz/Câmara dos Deputados 

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment