Lira e Pacheco dizem que vão discutir "alternativas" para o auxílio emergencial


     Os recém-eleitos presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), anunciaram nesta quarta-feira (3) que vão discutir alternativas para o auxílio emergencial e se comprometeram em encontrar alternativas para retornar com o benefício pago a desempregados, trabalhadores informais e beneficiários do Bolsa Família para ajudar durante o período da pandemia de covid-19. A última parcela foi paga em dezembro do ano passado.

     
    "O Senado Federal e a Câmara dos Deputados manifestam que trabalharão de forma conjunta, harmônica e colaborativa em todos os temas que possam facilitar e ajudar os brasileiros na superação do drama da pandemia, incluindo, sobretudo, a análise das possibilidades fiscais para, respeitando o teto de gastos, avaliar alternativas de oferecer a segurança financeira através de auxílio emergencial para aqueles brasileiros e brasileiras que estejam enfrentando a miséria em razão da falta de oportunidade causada pela paralisia econômica provocada pela pandemia", cita trecho do compromisso conjunto das duas Casas lido por Pacheco nesta quarta.

    Na Câmara, Lira, eleito nesta terça (2)  já conta com três projetos de lei pedindo a volta dos pagamentos de R$ 600. Já Pacheco conta com um projeto que propõe o retorno do auxílio em pagamentos de R$ 300, porém prorrogando o estado de calamidade pública. /Por: Marcos Corrêa/PR 

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment