PGR pede novo inquérito para apurar se Daniel Silveira cometeu desacato ao se recusar a usar máscara


     A  Procuradoria-Geral da República (PGR) solicitou a abertura de um novo inquérito contra o deputado federal Daniel Silveira (PSL) para apurar se ele cometeu os crimes de desacato e infração de medida sanitária ao se recusar a usar máscara quando levado ao Instituto Médico Legal (IML) do Rio de Janeiro.

    O episódio ocorreu quando o parlamentar, após ser preso na última terça-feira (16) por ofensas a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), compareceu ao local para realizar exame de corpo de delito. No vídeo, a servidora pede insistentemente para que o político utilize o equipamento de proteção no rosto. No entanto, Silveira alega ter prerrogativa para não usar.

    A discussão teve que ser interrompida por um agente da Polícia Federal. Após bradar, Silveira acabou aceitando usar o equipamento de proteção pessoal para passar pelos exames legistas. De acordo com informações do jornal O Globo, a PGR também pediu ao Supremo,  junto com a abertura de inquérito, a realização de diligências para coleta de depoimento dos servidores do IML que presenciaram a cena.

    O crime de desacato é punível com detenção de seis meses a dois anos - ou multa. Já a  infração de medida sanitária preventiva é punível com pena de um mês a um ano de detenção, e também multa. A Câmara iniciou, por volta das 17h10 desta tarde, sessão que analisará a manutenção da prisão do bolsonarista.  /Por: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados 

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment