Presidente da Anvisa diz que prazo para aprovação de vacinas é ‘ameaça à soberania nacional’


     O diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, vai pedir ao presidente Jair Bolsonaro que vete o trecho da Medida Provisória aprovada pelo Congresso Nacional que prevê um prazo de cinco dias para aprovação de uso emergencial de vacinas contra a Covid-19. 

    O entendimento da diretoria colegiada do órgão é que o prazo tira a autonomia da Agência para avaliar os riscos e a eficácia das vacinas e que é uma “ameaça à soberania nacional no que tange os aspectos sanitários”. Atualmente, a agência reguladora tem até 10 dias para analisar os pedidos de uso emergencial de vacinas, o que já é considerado pelo órgão um prazo apertado. 

    "Entendemos que é uma ameaça à soberania nacional no que tange aos aspectos sanitários. O que protege o cidadão brasileiro é um escudo chamado Anvisa. Esse escudo está sendo removido das mãos dos servidores e gerando uma insegurança sanitária na medida em que o texto no seu artigo quinto, logo na sua primeira fase, contempla uma única possibilidade, que é de conceder autorização. É como dizer ao juiz antes do julgamento: o réu já está condenado ou absolvido", declarou Barra Torres. /Por: Leopoldo Silva/Agência Senado 

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment