Toffoli suspende julgamento do "Quadrilhão do MDB" no Senado


     O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, suspendeu o julgamento do chamado "Quadrilhão do MDB", que envolve caciques do partido suspeitos de receberem até R$ 864 milhões em propinas de contratos com a Petrobrás entre 2004 e 2012.

    O caso começou a ser julgado na sexta-feira (12), no plenário virtual da Corte, mas um pedido de destaque de Toffoli vai levar a análise para sessão por vídeoconferência, o que interrompeu o julgamento.

    Até a paralisação, somente o relator do caso, o ministro Edson Fachin, tinha votado o recebimento da denúncia que foi apresentada pela Procuradoria-Geral da República.

    Estão sendo acusados os senadores Renan Calheiros e Jader Barbalho, os ex-senadores Edison Lobão, Romero Jucá e Valdir Raupp e o ex-presidente da Transpetro e delator, Sérgio Machado. Deste grupo, só quem ficou de fora foi o ex-senador José Sarney.

    "Em sincronia com as revelações dos colaboradores, advém suficiente conjunto probatório e indiciário dos autos que dão lastro à acusação de que os aqui denunciados integrariam o núcleo político de grupo criminoso influente, devidamente estruturado para o alcance de objetivos espúrios, vale dizer: arrecadação de benefícios financeiros indevidos, por intermédio da utilização de órgãos e entidades da Administração Pública”, diz um trecho do voto.  / Por: Carolina Antunes/Agência Brasil 

      Comentário do Google+
      Cometários do Facebook

    0 comentários:

    Post a Comment